fbpx
Conecte-se conosco

Geral

Prefeitura faz chamamento coletivo e anuncia ações contra a dengue

Publicado em

em

Bota-Fora da Codeca no bairro Reolon, no dia 27/04, está da programação das ações de orientação, fiscalização e educação

A Prefeitura de Caxias do Sul apresentou, em coletiva de imprensa, nesta quarta-feira (12/04), o cenário atual da dengue no município e as principais ações de combate. A reunião foi convocada para comunicar as iniciativas e também para solicitar o apoio dos veículos de comunicação para a disseminação das informações sobre o preocupante quadro atual. Um Bota-Fora será realizado pela Codeca no bairro Reolon no dia 27 de abril. A Secretaria da Saúde intensifica as ações de fiscalização, controle e vigilância dos focos e, a do Meio Ambiente, atuará na educação ambiental.

O prefeito Adiló Didomenico destacou que o momento pede especial atenção e pediu a colaboração: “Chegou o momento de todos arregaçarem as mangas. Precisamos da ajuda de todos, pois a dengue é uma doença que não tem vacina. Um copinho plástico jogado na natureza pode acumular água e causar um grande problema, por isso fazemos esse apelo de forma coletiva, para que nos ajudem nesse combate”.

A secretária da Saúde, Daniele Meneguzzi, destacou que, embora os casos de dengue confirmados em Caxias até o momento (10) sejam todos de pacientes com histórico de viagem para outros locais, há risco de que a doença seja contraída na cidade, já que ela é transmitida pela picada do Aedes aegypti. “É um problema coletivo. Para que possamos minimizar os efeitos, precisamos novamente contar com a ação e colaboração de todos os caxienses. Evitar a transmissão dentro do nosso município depende de cada um e isso passa pela prevenção, que é eliminando os focos”.

Foto por Lucas Munaretti

Caxias do Sul soma, até o momento, 411 focos do mosquito Aedes aegypti identificados e bloqueados pela Vigilância Ambiental em Saúde. Em pouco mais de três meses, é quase a metade do total de 2022 (728 focos). O diretor técnico da Vigilância Ambiental em Saúde, Rogério Poletto, mostrou que o Levantamento Rápido do Índice de Infestação de Aedes aegypti (Liraa), realizado de 27 de março a 4 de abril, indicou bairros já com risco médio de infestação pelo mosquito: Desvio Rizzo, Charqueadas, Planalto, São Victor Cohab, Cruzeiro, Dezorzi, Centro, Pio X, Mariani, Reolon, Fátima e Pioneiro. No entanto, a preocupação é geral, visto que há focos do mosquito localizados em todas as regiões da cidade.

A Vigilância Ambiental em Saúde realizou este ano 39.501 inspeções em imóveis, terrenos baldios e pontos estratégicos, e recolheu 125 pneus inservíveis, abandonados pela comunidade em via pública. Poletto também chamou atenção para o alto número de focos do Aedes encontrados em residências: 77,4% dos 411. Entre os principais criadouros, 48,4% estão em recipientes para armazenamento da água da chuva (caixas d’água, tonéis, barris, baldes, regadores e bombonas). Também há 11,2% em pneus e 14,7% em recipientes em geral, incluindo potes para animais sem a limpeza frequente. “Temos que desmistificar o fato de que a dengue vai ocorrer só em bairro pobre, pois os focos estão em todo o município. Apesar de todas as informações, estamos encontrando caixas d’água aberta, piscinas com água suja, fontes ornamentais, água parada em todo tipo de recipiente”, relata.

O Bota-Fora no Reolon será realizado pela Codeca dia 27 de abril, das 8h às 16h. O bairro foi definido por já estar no roteiro das ações da companhia e também pelo resultado do Liraa). A diretora-presidente da Codeca, Maria de Lourdes Fagherazzi, explicou que no dia da ação a equipe da Codeca fará o recolhimento de móveis, sofás, colchões, eletrodomésticos, pneus e madeiras, que devem ser depositados pelos moradores nesse mesmo dia, nas ruas onde passa o ônibus. Não serão recolhidos entulhos de obras (concreto, tijolo, cerâmica, lajota, pedras).

“O objetivo é recolher esses materiais que podem se tornar criadouros e somar esforços, porque esse é um trabalho conjunto. Pedimos que a comunidade não deposite nos dias anteriores nem na noite anterior, justamente para esses resíduos não acabarem sendo espalhados”, apontou Maria de Lourdes. A diretora também lembrou que a comunidade pode descartar os pneus em desuso junto ao Ecoponto da Codeca, de forma gratuita.

Foto por Lucas Munaretti

O secretário de Meio Ambiente, João Uez, destacou que a Semma realizará, em conjunto com Codeca, Samae e Smed, trabalho de educação ambiental nas escolas próximas aos bairros onde há maior número de focos, buscando abordar a conscientização: “Precisamos trabalhar com as crianças para que elas entendam a importância, porque são elas as grandes incentivadoras dentro de casa. São iniciativas simples mas que surtem grande efeito”, avalia.

O coordenador de Relações Comunitárias, José Reovaldo Oltramari, disse que fará articulação com presidentes de bairros para multiplicar as informações sobre as ações de combate. A diretora técnica da Vigilância em Saúde, Sandra Tonet, também participou da coletiva.

Sobre a dengue

SINTOMAS

Pessoas com febre por dois a sete dias (39 a 40 graus), dor de cabeça, dor nas articulações ou dor atrás dos olhos devem buscar atendimento médico. Todas as UBSs estão capacitadas para atendimento.

CASOS DE DENGUE em 2023

– Contraídos no município (autóctones): nenhum

– Contraídos fora do município (importados): 10 casos.

Foram registrados nos bairros: Rio Branco, Ana Rech, Nossa Senhora de Fátima, São Caetano, Nossa Senhora da Saúde (2), Jardim Eldorado, Sagrada Família, Pio X, Pioneiro.

FOCOS DO MOSQUITO TRANSMISSOR: 411

Distribuição dos focos por bairro:

Cruzeiro: 52

Charqueadas: 38

Pio X: 27

Nossa Senhora de Fátima e São Victor Cohab: 23

Colina Sorriso e Pioneiro: 20

Cidade Nova, Floresta e Reolon: 15

Planalto: 12

Mariani e Nossa Senhora da Lourdes: 11

Sagrada Família e Santa Lúcia: 10

São Caetano e São Pelegrino: 08

Santa Lúcia Cohab: 07

Marechal Floriano: 06

Centro, Santa Catarina e São José: 05

Cristo Redentor, Esplanada, Galópolis, Madureira: 04

Kayser, Rio Branco, Santa Fé, São Leopoldo, Universitário e Vinhedos: 03

Bela Vista, Cinquentenário, Jardim de Lagoa (Desvio Rizzo), Jardim do Shopping, Medianeira, Monte Carmelo, Santa Teresa (Desvio Rizzo), São Luiz da 6ª Légua e Tijuca: 02

Cidade Industrial, Forqueta, Jardim América, Linha 40, Panazzolo, Petrópolis, Presidente Vargas, Salgado Filho, São Cristóvão, Santos Dumont, Vila Cristina, Vila Mari (Planalto) e Vila Verde (Planalto): 01

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

ONG Construindo Igualdade é contemplada pelo Programa Acolher+, do Ministério dos Direitos Humanos

Publicado em

em

Casa de Acolhimento receberá recursos para aquisição de materiais

Na semana em que completa seu terceiro aniversário, a Casa de Acolhimento da ONG Construindo Igualdade, de Caxias do Sul, foi uma das 12 iniciativas contempladas pelo Programa Acolher+, parceria entre o Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Com o reconhecimento em nível federal, a primeira casa de acolhimento LGBTQIA+ do Sul do Brasil receberá quatro parcelas de R$ 4,6 mil para aquisição de materiais de consumo, como alimentos, itens de higiene pessoal e produtos de limpeza.

“Essa verba é um reconhecimento da seriedade do nosso trabalho e vai ajudar a manter a Casa de Acolhimento funcionando, sendo um ponto fundamental para receber pessoas LGBTs em situação de vulnerabilidade. Desde que abrimos as portas, nossa casa tem sido um refúgio para a comunidade LGBT, proporcionando apoio emocional, recursos essenciais e um ambiente onde todas, todos e todes podem ser verdadeiramente quem são”, comemora Cleo Araújo, voluntária da ONG.

Desde sua inauguração, em maio de 2021, a Casa de Acolhimento já recebeu mais de 100 pessoas, proporcionando um local seguro para moradia temporária, além de assistência psicológica e apoio com cursos de capacitação. Atualmente, o espaço pode receber até quatro moradores.

Além da Casa de Acolhimento da ONG Construindo Igualdade, de Caxias do Sul (RS), foram contempladas: a Casa Cores, de Petrolina (PE); o Casarão Brasil, de São Paulo (SP); a Casa Gold, de Vitória (ES); a Casa Nem, do Rio de Janeiro (RJ); a Outra Casa Coletiva, do Ceará; o Centro de Acolhimento Ezequias Rêgo da Rocha, de Maceió (AL); a Casa Miga, de Manaus (AM); a Casa Rosa, do Distrito Federal; a Casa Resistências, do Rio de Janeiro (RJ); a Casa Florescer, do Maranhão; e a Casa Dulce Seixas, do Rio de Janeiro (RJ).

Os recursos do Programa Acolher+ são destinados exclusivamente para aquisição de materiais de consumo, como alimentos, materiais de limpeza e utensílios domésticos. Com isso, a ONG Construindo Igualdade segue em busca de doações para custeio das despesas de aluguel, água, luz e gás. Interessados em ajudar a primeira casa de acolhimento LGBTQIA+ do Sul do Brasil podem entrar em contato com Cleo Araújo pelo fone/whats (54) 99161-3078.

Agenda em Brasília

Além da oficialização do repasse de verbas do Programa Acolher+, Cleo Araújo está em Brasília cumprindo uma agenda de reuniões no Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC) e na Secretaria Extraordinária para Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul. Em pauta, está o acolhimento a pessoas LGBTQIA+ afetadas pela tragédia climática que já deixou mais de 540 mil gaúchos desabrigados.

“Estou participando de um grupo de trabalho que acompanha com atenção os casos de violência contra a comunidade LGBT relatados durante este período terrível que estamos passando no Rio Grande do Sul. Vamos apresentar à equipe do ministro Paulo Pimenta um pedido para instalação de um espaço de acolhimento para pessoas LGBTs em Porto Alegre”, antecipa Cleo.

Sobre a ONG

A ONG Construindo Igualdade é uma entidade sem fins lucrativos de Caxias do Sul (RS) que iniciou suas atividades em 2003, a partir da necessidade de organização da comunidade LGBTQIA+. Dirigida por uma comissão de pessoas LGBTs, tem como missão combater qualquer tipo de discriminação e violação de direitos humanos em função da orientação sexual ou identidade de gênero, atuando para garantir o direito à cidadania plena e à livre expressão. Possui um histórico de atuação com pessoas em situação de vulnerabilidade, mulheres vítimas de violência doméstica e pessoas convivendo com HIV e AIDS, por meio de ações de assistência social, saúde, advocacia, educação, cultura e acolhimento.

Continue lendo

Geral

Prefeitura autoriza pagamento dos transportadores escolares do interior

Publicado em

em

Em virtude das aulas suspensas, empresas temiam não receber do município.

O Prefeito Adiló Didomenico autorizou, na tarde desta segunda-feira (20), o pagamento dos transportadores escolares que fazem cerca de 70 roteiros no interior do município. As empresas temiam não receber do município em virtude das aulas nas escolas do interior estarem suspensas desde o dia 02 de maio, em virtude das condições das estradas, muitas atingidas com quedas de barreiras devido às fortes chuvas.

Adiló garantiu o pagamento dos custos fixos das viagens para não impactar os empresários do setor. O valor do repasse é de cerca de R$ 45 mil por dia até a normalidade do serviço. “Numa reunião a pouco com a representação dos transportadores escolares, autorizamos o pagamento do custo fixo para minimizar o prejuízo desses empresários, que já enfrentaram uma dificuldade muito grande na pandemia, e que estão parados devido à suspensão das aulas no interior”, explica o Prefeito.

O transporte escolar do município é contratado via licitação, em um investimento de R$ 1,5 milhão (todo transporte escolar).

Continue lendo

Geral

Prefeitura realiza mutirão de vacinação neste sábado

Publicado em

em

População poderá se vacinar em UBSs, shopping Villagio Caxias e Praça Dante Alighieri (conforme o clima).

A Prefeitura de Caxias do Sul, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), realiza um mutirão de vacinação neste sábado (18/05). Além das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), haverá pontos de vacinação no Shopping Villagio Caxias e também na Praça Dante Alighieri (este poderá ser suspenso de acordo com a condição climática). Em todos os pontos haverá vacina contra a gripe (Influenza). Nas UBSs também haverá doses de rotina para atualização da caderneta.

As Unidades Básicas de Saúde (UBSs) estarão abertas para ofertar as vacinas do calendário de rotina da criança, do adolescente e do adulto entre 8h e 17h. Apenas as UBSs Centenário e Vila Cristina não abrem. A Secretaria da Saúde orienta a população a colocar em dia principalmente as vacinas que previnem doenças a que pode ter sido exposta em função dos alagamentos dos últimos dias, como tétano e hepatite B. Também estará disponível a vacina contra a gripe (Influenza).

A Secretaria Municipal da Saúde reforça que a vacinação do calendário de rotina, incluindo as vacinas contra tétano, hepatite b e febre amarela estará disponível apenas para a população que não estiver em dia com essas vacinas. Não há recomendação para vacinação indiscriminada de toda a população.

Nos pontos de vacinação no shopping Villagio Caxias e na Praça Dante Alighieri (este com o ônibus da Cruz Vermelha) estará disponível apenas a vacina contra a gripe, que está liberada para toda a população de seis meses de idade ou mais.

É preciso levar documento pessoal e caderneta de vacinação. Para crianças é obrigatória a apresentação da caderneta.

SERVIÇO

Mutirão de Vacinação

Sábado 18/05

Shopping Villagio Caxias

10h às 16h

Apenas vacina da gripe

Praça Dante Alighieri – com ônibus da Cruz Vermelha*

Apenas vacina da gripe

10h às 15h

*ação poderá ser cancelada de acordo com a condição do clima

Todas UBSs (exceto Centenário e Vila Cristina)

8h às 17h

Vacinas do calendário de rotina

Vacina da gripe

Levar documento pessoal e caderneta de vacinação

OBS: para crianças é obrigatória a apresentação da caderneta

Devido às enchentes, fique atento se você ou seu filho estão com as seguintes vacinas em dia:

Tétano

  • – Criança até 4 anos (vacina DTP): deve ter 2 doses.
  • – Adolescente (vacina dT): deve ter 3 doses no total, incluindo as 2 da infância.
  • – Adulto (vacina dT): deve ter 3 doses no total, se não vacinado na infância ou adolescência. E um reforço a cada 10 anos.

Hepatite B

  • – Adolescente: deve ter 3 doses no total (incluindo a dose da infância).
  • – Adulto: deve ter 3 doses no total (incluindo doses da infância e adolescência).
  • – Gestante: deve ter três doses (se não vacinada anteriormente).

Febre amarela

  • – Criança: deve ter 2 doses.
  • – Adolescente: dose única (se não vacinado anteriormente).
  • – Adulto: dose única (se não vacinado anteriormente).

Continue lendo