fbpx
Conecte-se conosco

Cultura

Por onde passa o samba – Mostra de Encerramento da EPD 2022 recebeu 600 pessoas

Publicado em

em

No último dia das apresentações aconteceu a solenidade de formatura de conclusão dos estudos do programa curricular da Escola

Desde 1998,  a Cia. Municipal de Dança de Caxias do Sul mantém uma Escola Preparatória de Dança, a EPD, e nos 07, 08 e 09 de dezembro aconteceu na Sala de Teatro Prof. Valentim Lazzarotto, a mostra anual de encerramento da Escola que, atualmente, tem 70 alunos. 600 pessoas marcaram presença neste momento tão importante para as crianças e adolescentes que se apresentaram. 

“Por onde passa o samba” homenageou o gênero musical que sem dúvidas é um dos mais populares ritmos do Brasil. Sob a direção de Paula Giusto, coordenadora da Unidade de Dança da SMC; e Uyara Camargo, coordenadora da EPD; e dos professores da Escola, que também integram o elenco da Cia. Municipal de Dança, os alunos apresentaram um lindo espetáculo que mostrou ao um público um pouquinho da história deste relevante ritmo da nossa cultura popular brasileira. 

Além das apresentações de dança inspiradas na história do samba, também aconteceu  no dia 9 de dezembro, ao final do espetáculo, a solenidade de formatura pela conclusão dos estudos do programa curricular da EPD. Nesta data,  foram homenageadas as alunas formandas  Giovana Scalco Boeira, Isabela Stallivieri Leão, Maria Eduarda Signorelli Berne e Nicoly de Souza Dalbosco que receberam seus certificados entregues pelas mãos da vice-prefeita, Paula Ioris; da diretora da Cia. Municipal de Dança de Caxias do Sul, Paula Giusto; e da coordenadora da EPD, Uyara Camargo. 

Em fevereiro de 2023, a Cia. Municipal de Dança de Caxias do Sul realizará um circuito de apresentações “Cia. de Dança na Escola” visando levar alguns trabalhos do repertório  artístico do grupo profissional que completará 25 anos de trajetória em março de 2023, para crianças e adolescentes estudantes da rede pública de ensino da cidade. Nesta oportunidade, também  haverá um bate-papo abordando sobre a dança, e ainda será feito um convite aos alunos interessados para se inscreverem no processo de audição de novos alunos da EPD.  

Para ficar por dentro da programação cultural da cidade basta acessar cultura.caxias.rs.gov.br

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Festa da Uva 2024 anuncia shows nacionais

Publicado em

em

A primeira atração será a cantora Ana Castela, que se apresentará no dia 17 de fevereiro

Os principais shows da Festa Nacional da Uva 2024, que ocorrerão no Palco Principal (Arena), foram anunciados nesta segunda-feira (2/10). Serão sete atrações em três sábados, com realização da AM9 Produções Gestão de Eventos.

No sábado, dia 17 de fevereiro, a cantora Ana Castela, sensação do agronejo, “A Boiadeira”, estará no palco principal da Festa, com sucessos como “Pipoco”, “Nosso Quadro” e “Solteiro Forçado”. No sábado, dia 24 de fevereiro, é a vez da Festa receber o maior festival de trap da Serra Gaúcha, com quatro shows na mesma noite. Haverá apresentações de Filipe Ret, MC Cabelinho, Orochi e Chefin. O trap é um ritmo subgênero do rap, trazendo mais musicalidade e elementos eletrônicos, como sintetizadores e batidas bem marcadas a temas e rimas que retratam realidades sociais.

Para encerrar os shows nacionais, a apresentação do sábado, dia 2 de março, unirá dois grandes nomes da música brasileira. O Raça Negra traz seu pagode com mais de 40 anos de história e sucessos, como “Ciúme de você”, “Cheia de manias” e “Cigana”, entre muitos outros. Já o sertanejo da dupla Bruno & Marrone é responsável por canções como “Dormi na praça”, “Choram as rosas”, “Boate Azul” e inúmeros sucessos em mais de 37 anos de carreira.

Os ingressos custarão a partir de R$ 60 e começarão a ser vendidos exclusivamente no site da Festa da Uva a partir do dia 6/10. A arena de shows está dividida em setores que trarão diferentes experiências ao público. O setor On Stage é composto pelo pátio e espaço open bar e open food; o Camarote conta com pátio, além de espaço coletivo e box; as seções Ouro, Prata e Bronze com mesas bistrô; a Área Vip – Copo Cheio; a Arena; o Espaço PCD, ao lado do palco, e o setor reservado a convidados dos patrocinadores.

Pessoas com deficiência (PcDs) têm entrada gratuita garantida na Festa da Uva e nos shows, com espaço especial junto ao Pátio do setor Camarote Coletivo para acompanhar os shows de seus artistas preferidos. Acompanhantes pagam o valor do ingresso referente ao Espaço Arena. Uma área ao lado palco é destinada exclusivamente para esse público e seus acompanhantes. O acesso dos PcDs se dará pelo Camarote Coletivo ou pelo Portão 4, mediante apresentação do ingresso do acompanhante.

Além do palco principal, com atrações anunciadas hoje, a 34ª Festa da Uva contará ainda com intensa programação cultural durante todos os dias do evento e dois grandes palcos dentro dos Pavilhões. A programação completa será divulgada mais próximo à data de abertura do evento. A Festa Nacional da Uva 2024 será realizada entre os dias 15 de fevereiro e 3 de março, tendo como tema “Caminhos e Lugares”. Os ingressos para prestigiar a Festa custarão R$ 20 de terça-feira a domingo, e serão gratuitos nas segundas-feiras. Os ingressos para as arquibancadas dos desfiles custarão R$ 40.

SOBRE OS ARTISTAS:

Ana Castela

Ana Flávia Castela, também conhecida por Boiadeira, é uma cantora, compositora e instrumentista brasileira. Tornou-se conhecida pelas canções “Boiadeira”, lançada em 2021 e que deu início à sua carreira, e pela música “Pipoco”, lançada em parceria com a também cantora Melody e o músico DJ Chris no Beat. Nascida em Amambai e criada em Sete Quedas, na fronteira com o Paraguai, Ana Flávia frequentemente visitava a fazenda de seus avós, no país vizinho, e foi lá onde gravou o vídeo cantando “Vaqueiro Apaixonado”, do cantor Loubet, que viralizou e a fez seguir carreira artística. Desde então, a cantora vem lançando singles em parceria com outros músicos, no gênero agronejo. Entre 2021 e 2023, lançou canções como “Neon” e “As Menina da Pecuária”, entre outras. Em maio de 2023, a cantora gravou, ao vivo, seu primeiro álbum, “Boiadeira Internacional”.

Raça Negra

Formada há 40 anos, a banda Raça Negra, comandada por Luiz Carlos, é responsável por inspirar gerações. O primeiro grande sucesso veio com a música “Caroline”, hit do primeiro CD, “Raça Negra – Vol. 01”, lançado em 1991. “Raça Negra & Amigos”, lançado em 2012, contou com diversas participações especiais como Alexandre Pires, e Michel Teló. Após o sucesso do álbum “O Rei do Baile”, de 2015, que contém releituras das mais famosas músicas brasileiras, a banda resolveu repetir a dose de 2012 e presentear seus fãs de todas as gerações lançando o quinto DVD da carreira, o “Raça Negra & Amigos II” em 2018. Com a presença de Wesley Safadão, Thiaguinho, Leonardo e outros, o grupo conduz um show de muita interação e nostalgia, cantando seus maiores sucessos, além de também receber no palco os hits memoráveis de seus convidados. “O Mundo Canta Raça Negra”, gravado em março de 2022, contou com canções inéditas e regravações de grandes hits da banda. Teve a participação da dupla Jorge e Mateus, os cantores Dilsinho e Tierry e as atrações internacionais Anselmo Ralph e Joey Montana e, como convidada especial, a atriz Juliana Paes. O repertório viajou pelos 40 anos do Raça Negra e contou com diversos momentos especiais e faixas inéditas.

Bruno & Marrone

Bruno & Marrone é uma dupla brasileira de música sertaneja formada pelos cantores Vinícius Félix de Miranda, conhecido como Bruno, e José Roberto Ferreira, o Marrone. Em 2023, Bruno & Marrone completaram 37 anos de carreira. Sua trajetória começou em 1986, quando foram apresentados um ao outro pelo cantor Leonardo. Porém, a dupla ganhou projeção nacional em 2001, com o mega hit “Dormi Na Praça”. Na discografia, que vai do vinil ao digital, contabilizam 24 CDs e 10 DVDs, sem contar os singles, como o recém-lançado com a dupla Henrique e Juliano, “Deixa ela em paz”. Ainda, tiveram a honra de dividir o palco com Chitãozinho & Xororó no projeto “Clássicos”. Além deste, também estão juntos com Leonardo no consagrado “Cabaré”. São muitas histórias para contar e muitas canções que servem de trilha sonora na vida real.

Filipe Ret

Filipe Ret iniciou a sua carreira musical em batalhas de MCs na Lapa, no Rio de Janeiro (RJ), em 2003. Em meio a sua história com a música, Ret também se formou em jornalismo na faculdade FACHA. Em 2009, Ret lançou o álbum “Numa Margem Distante”. Em 2012, com o lançamento do álbum “Vivaz”, o single “Neurótico de Guerra” fez bastante sucesso, levando Ret a ter destaque em programas da MTV e do Multishow. Em setembro de 2015, lançou seu terceiro álbum, chamado “Revel”, com o qual atingiu mais de 3 milhões exemplares vendidos e milhares de downloads por todo o país. O quarto álbum, “Ajudaz”, foi lançado em 2018 e dele destaca-se o single “A Libertina”. Em 2021, o álbum “Imaterial” foi lançado e conta com participações de outros grandes nomes do gênero, como L7NNON e Orochi. Porém, o que realmente chamou a atenção, foi o estrondoso sucesso “LUME”, o sexto álbum do rapper. Ret se tornou o primeiro artista nacional a lançar um Enhanced Álbum no Spotify. Com esse formato, os fãs conseguem acompanhar comentários do próprio cantor e vídeos sobre cada uma das faixas. O disco também não desapontou quando se fala de parcerias. Nele você encontra Anitta, MC Poze do Rodo, Caio Luccas, Kayuá, MC Maneirinho, MC Cabelinho, L7NNON e Mc Hariel. Ret é considerado hoje um dos maiores rappers do Brasil.

MC Cabelinho

Criado na Zona Sul do Rio de Janeiro, mais especificamente das comunidades do Pavão-Pavãozinho e Canta Galo, Victor Hugo Oliveira do Nascimento iniciou sua luta em 2011, criando funk para os bondes desses locais. Seu nome artístico, Cabelinho, só foi criado em 2012 com a ajuda de um amigo DJ. Junto com seu nome novo, também a certeza do que queria fazer. “Geral me conhecia de Vitinho, e daí virei o MC Vitinho. Em 2012, decidi que queria viver de música e caí pra dentro. Conversando com um amigo DJ, ele me disse que tinha que trocar de nome, porque já tinha um MC Vitinho na pista. Eu tinha cabelo arrepiado, usava bastante gel e daí acabou ficando Cabelinho”. O ano de 2016 foi o ano da virada para o MC Cabelinho. Seu primeiro estouro foi “Morrão tá Lindo” que retrata o cotidiano da quebrada. Aliás, foi com essa temática que o MC Cabelinho criou sua marca. Depois, ele lançou “Toda Hora” e “Voz do Coração”. Em seguida veio “Zona Sul”, com a produção da KondZilla do seu clipe, contando com mais de 10 milhões de visualizações. Cabelinho é cantor e compositor, e sempre cita em suas músicas a rotina da quebrada, até mesmo quando suas canções têm uma pegada romântica.

MC Cabelinho também á ator e participou da última novela das 19h na Globo, como Hugo, em Vai na Fé.

Orochi

O cantor, que começou aos 14 anos a percorrer o circuito de batalhas de rap, fez seu nome organicamente nas rodas culturais. Atualmente, conta com 4,5 milhões de seguidores no Instagram e mais de 1 bilhão de visualizações em suas músicas no YouTube. Natural de São Gonçalo (RJ), ficou conhecido na batalha do tanque, perto de onde morava. O jovem acumulou 21 vitórias consecutivas naquele espaço. Em 2015, defendendo sua cidade, conquistou o título máximo do freestyle no Campeonato Nacional, que aconteceu em Belo Horizonte (MG). Nessa época, Orochi também era integrante do grupo de rap Modéstia Parte. Emplacou hits como “Te encontrar”, “Cálices” e “Goles perdidos”, somando mais de 100 milhões de visualizações no YouTube. Em 2018 lançou o EP Trip, em 2020, seu primeiro álbum, “Celebridade”, em 2022 o álbum “Lobo” e, em 2023, o álbum “VidaC Cara”. Com sua produtora Mainstreet Records, fundada em 2020, ele consegue tornar o sonho de outros jovens negros da periferia possível na cena do rap.

Chefin

Nascido e criado na favela da Vila Kenedy, do Rio de Janeiro (RJ), Chefin despontou na cena do trap nacional em 2021 com o lançamento do projeto “Invejoso”, do Distrito 20. Com apenas 18 anos, o jovem rapper se tornou sensação das mídias sociais em sua estreia pela Mainstreet Records com o hit “212”, que alcançou o quarto lugar da Billboard Brasil. O músico é um artista versátil, que traz em suas letras temas como ostentação, festas e vivências nas comunidades do RJ. Chefin já sonhava em ser cantor desde muito novo, considerando Orochi, Djonga e Filipe Ret suas grandes inspirações. Construiu sua carreira sem grandes investimentos, sendo abraçado pelas redes sociais e criando uma forte conexão com seus fãs. Outros de seus trabalhos conhecidos são a música “Deus é o Meu Guia”, “Historinha” e “2step”, com Ed Sheeran. Em 2022, o rapper lançou seu álbum de estreia, “Nova Era” e foi vencedor do prêmio MTV Millennial Awards 2022 na categoria “Trap na cena”.

Continue lendo

Cultura

Focus Cia de Dança, do Rio de Janeiro, apresenta “As Canções que Você Dançou pra Mim” no Teatro Pedro Parenti

Publicado em

em

O Teatro Municipal Pedro Parenti, na Casa da Cultura de Caxias do Sul, recebe na próxima semana o espetáculo “As Canções que Você Dançou pra Mim”, da Focus Cia de Dança, do Rio de Janeiro. Inspirada na obra musical do rei Roberto Carlos, a montagem — em cartaz há 12 anos e que em 2023 alcança a marca de 400 apresentações — terá sessões na sexta (29) e no sábado (30), às 20h. Os ingressos custam R$ 40 (R$ 20 a meia-entrada) e podem ser adquiridos pela plataforma Sympla.

Com 25 obras e 15 espetáculos em seu repertório, a Focus Cia de Dança se consagrou através da crítica especializada e é sucesso de público. Apresentou-se em mais de 100 cidades brasileiras e levou sua arte para países como Colômbia, Bolívia, México, Costa Rica, Canadá, Estados Unidos, Portugal, Itália, França, Alemanha e Panamá.

Continue lendo

Cultura

Tatiéli Bueno apresenta Tributo e Mercedes Sosa na abertura da 39ª Feira do Livro de Caxias do Sul

Publicado em

em

A criminóloga e roteirista Ilana Casoy, a escritora Micheliny Verunschk, o criador do Radicci, Carlos Henrique Iotti e o poeta Zack Magiezi estarão na Feira participando de bate-papos

Com o tema “Na Leitura nos Encontramos”, o maior evento literário da região começa a aquecer as turbinas com uma programação super especial. Serão 17 dias envoltos na magia da literatura, dos seus autores, personagens e leitores. A Feira conta com 18 bancas, com diversas opções de livros.

No dia 29 de setembro, quando o relógio marcar 18h, o coração da Praça Dante Alighieri vai bater ainda mais forte com a solenidade de abertura da 39ª Feira do Livro de Caxias do Sul, logo após, às 19h, Tatiéli Bueno sobre ao palco da Feira do Livro para apresentar Tributo e Mercedes Sosa, show que vai embalar o início desta grande festa literária.

Tributo a Mercedes Sosa é um trabalho desenvolvido pela cantora Tatiéli Bueno, que reverencia uma das cantoras mais famosas da América Latina. O espetáculo teve a sua estreia em 16 de outubro de 2014, e já foi apresentado em diversas cidades do Estado. O repertório traz grandes clássicos como “Gracias a la Vida”, “Volver a los 17”, “Duerme Negrito”, “Todo Cambia”, e “Como la Cigarra”.

Tatiéli Bueno dedica sua carreira à música latino-americana e à música popular brasileira. Em suas produções destacam-se o especial de Natal “Boas Novas” (2021), o projeto, “Tatiéli Convida” (2020), “Espetáculo ELAS” (2020), “Especial Social” (2020), “Show Sul-americano” (2019), “Universo Feminino” (2018), e o “Tributo a Mercedes Sosa” (2014), em que homenageia “La Negra” com a interpretação de grandes clássicos do repertório da argentina. Em 2015, lançou o CD “Sensibilidade”, que rendeu três indicações ao Prêmio Açorianos de Música (2015/2016), como “Melhor Álbum” e “Melhor Intérprete”, na categoria regional, e “Artista Revelação”, na categoria geral.

A cantora subirá ao palco acompanhada dos músicos Éder Bergozza, na direção musical e piano; Ezequiel De Toni, no acordeon; Gustavo Viegas, no contrabaixo; e Rodrigo Zorzi, na bateria.

Às 20h, tem a abertura da exposição “40 anos de Radicci” de Carlos Henrique Lotti, na Galeria de Arte Gerd Bornheim, da Casa da Cultura Percy Vargas de Abreu e Lima.

Já no sábado (30), acontecem diversas atividades como contação de histórias, sessões de autógrafos, sarau literário, encontro da Associação Gaúcha de Escritores, bate-papos, apresentações artísticas, entre outros. Neste dia, às 17h30min, o palco da Feira recebe Ilana Casoy, para o bate-papo “Atração pelo True Crime” com mediação do jornalista e cronista Marcelo Mugnol.

Ilana Casoy é criminóloga, roteirista e autora dos best-sellers Arquivos serial killers: Louco ou cruel?, Arquivos serial killers: Made in Brazil e Casos de Família – Arquivos Richthofen e Nardoni, publicados pela DarkSide Books. Escreveu Bom dia, Verônica em parceria com Raphael Montes, livro adaptado para a Netflix como série homônima, vencedora do prêmio APCA 2020 nas categorias de melhor ator, atriz e dramaturgia. Escreve roteiros para TV e cinema, como “A menina que matou os pais” e “O menino que matou meus pais”.

A Galeria de Arte Gerd Bornheim recebe às 19h, a escritora, crítica literária e historiadora brasileira, Micheliny Verunschk, para o bate-papo “História e Ficção em ‘O som do rugido da onça’”, com mediação da escritora Elaine Pasquali Cavion.

Micheliny Verunschk é Mestre em Literatura e Crítica Literária e Doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC São Paulo. Em 2004 foi indicada ao Prêmio Portugal Telecom de Literatura, com o livro de poesia “Geografia íntima do deserto”, sendo a única mulher estreante e também a mais jovem a ficar entre os dez finalistas. Com o romance “Nossa Teresa – vida e morte de uma santa suicida”, venceu o Prêmio São Paulo de Literatura de 2015 na categoria melhor de romance escrito por autor estreante no gênero acima de 40 anos. Sua obra O rugido da onça, lançado em 2021, foi premiada no 64º Jabuti na categoria romance literário e no prêmio Oceanos.

O domingo (1), segue repleto de atrações, movimentando a 39ª edição da Feira. Além disso, os livreiros aguardam a comunidade com diversas obras, para todos os gostos. Neste dia, o evento receberá o jornalista Carlos Henrique Iotti, que criou o Radicci. Nos quase 40 anos de carreira, Iotti fez tiras e charges diárias para os jornais Pioneiro, Zero Hora, Diário Catarinense, O Diário de Criciúma, O Diário do Sul, colaborando ainda com dezenas de outras publicações, entre as quais El País Brasil, Folha de São Paulo, Revista Contra Relógio e Mac Magazine.

O jornalista estará no bate-papo “Radicci: Criador e Criatura”, que será mediado pelo escritor, ator, diretor e dramaturgo Jonas Piccoli, às 16h, no palco da Feira do Livro. Além disso, às 18h, Carlos Henrique Iotti estará na sessão de autógrafos da obra “Radicci Quattro”.

Também vai rolar, às 18h, na Galeria de Arte Gerd Bornheim, o bate-papo “Poesia para fugir da rotina” com o poeta Zack Magiezi, que será mediado pelo jornalista e escritor Dinarte Albuquerque Filho.

Zack Magiezi estudou História, Teologia e Letras, e foi na escrita que encontrou seu verdadeiro espaço. Considerado um dos fenômenos do movimento da poesia na Internet, ele utiliza as redes sociais para levar sua obra literária a mais de um milhão de leitores. Zack se destaca como um dos “instapoetas” mais relevantes do país desde 2014.

Confira a programação da Feira do Livro pelo site https://www.feiradolivrocaxias.com/programacao, ou acompanhe a Feira no Facebook (https://www.facebook.com/FeiradoLivrodeCaxiasdoSul/) e no Instagram (https://www.instagram.com/feiradolivrocaxiasdosul/)

Continue lendo