fbpx
Conecte-se conosco

Sem categoria

Espetáculo “Khaleh”, de Aline Tanaã, circulará por seis cidades da Serra Gaúcha

Publicado em

em

Caxias do Sul, Garibaldi, São Marcos, Antônio Prado, Canela e Bento Gonçalves recebem o circuito

Caxias do Sul e mais cinco cidades da Serra Gaúcha recebem, até o fim de agosto, a circulação do espetáculo “Khaleh”, de Aline Tanaã. No próximo sábado (15), é a vez do Didarte Centro Cultural, em Garibaldi, receber o circuito. A apresentação, aberta à comunidade, inicia às 19h30. Mais cedo, das 8h às 12h, Tanaã ministra a oficina“Rito, Riso e Ventre”, voltada à comicidade e ao protagonismo feminino/materno. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo link: https://www.sympla.com.br/evento/oficina-rito-riso-e-ventre-com-aline-tanaa-projeto-khaleh-circular/2479919.

Nos próximos meses, a montagem também passará por São Marcos, Antônio Prado, Canela e Bento Gonçalves. As sessões do espetáculo são acompanhadas de bate-papo, a fim de aprofundar as reflexões da peça e promover o diálogo entre artista e público. Ao todo, serão 10 apresentações. A circulação teve sessão de pré-estreia no distrito caxiense de Vila Oliva, dia 11 de maio, com arrecadação de donativos para as vítimas das enchentes no Rio no Grande do Sul.

Inspirado no livro “A Ciranda das Mulheres Sábias”, da psicanalista Clarissa Pinkola Estés, a peça traz uma abordagem acerca dos arquétipos femininos, em especial o da Grande Mãe, relacionando à sobrecarga do planeta Terra com a invisibilidade da maternidade. Khaleh é uma palavra de origem iraniana que significa intimidade familiar, especial e carinhosa, ou afinidade psíquica com outra alma. No palco, Aline Tanaã interpreta uma guardiã, que conduz o público por histórias emolduradas por outras histórias, utilizando-se de objetos cênicos, máscaras e a comicidade da palhaçaria. O trabalho, quase sem falas, utiliza a dramaturgia silenciosa e o humor como ferramentas de expressão.

“A expectativa pela circulação é imensa, pois é só no encontro com o público que o teatro encontra sentido. Neste caso caso ainda mais, pois o espetáculo traz temas super atuais e necessários, como ecofeminismo, ecologia, igualdade de gênero e outros temas que vivemos diariamente. O ‘Khaleh’ tem me acompanhado no meu processo de crescimento e amadurecimento como mulher. Neste novo momento, o trabalho tem refletido muito o nosso tempo, no sentido de expandir a reflexão para a nossa relação com a Terra e com o local que habitamos”, explica Tanaã.

A primeira versão do espetáculo estreou em 2016, após ser agraciado com o Prêmio Anual de Incentivo à Montagem Teatral, da Secretaria Municipal da Cultura de Caxias do Sul, no ano anterior. Foram duas temporadas de circulação, incluindo passagem pelo Porto Alegre em Cena: Festival Internacional de Artes Cênicas. Após um período de quatro anos sem apresentações, a montagem foi reformulada e voltou aos palcos em 2022, rendendo os prêmios de Melhor Espetáculo de Júri Popular, Melhor Atriz e Melhor Caracterização no 4º Festival de Teatro de Capão da Canoa. Desde sua estreia, o “Khaleh” já foi assistido por mais de 2 mil espectadores.

Com 40 minutos de duração, o espetáculo é dirigido por Aline Tanaã e Carolina Garcia Marques. Carolina foi diretora da primeira versão do “Khaleh” e retorna para a manutenção artística da peça. O também ator Darlan Gebing assina como assistente de direção e ensaiador. Bonecos, máscaras e objetos cênicos foram produzidos por Marcos Nicolaiewsky. A ficha técnica conta ainda com Cristina Lisot na concepção de figurino e trilha sonora original de Grasiela Müller.

“O teatro é uma arte viva e gosto muito desse processo de refinamento que acontece na medida que o trabalho amadurece. Nesta nova versão, buscamos uma melhora estética e também um aprofundamento da reflexão. Tenho buscado dar mais corpo ao arquétipo da Mãe Terra, visto que traz uma perspectiva do ecofeminismo, tema que tenho ampliado nos meus estudos teóricos dentro da psicologia e também da cena”, explica a protagonista.

Além das apresentações do espetáculo, o projeto também contempla outras duas edições da oficina “Rito, Riso e Ventre”. A próxima turma será no dia 10 de agosto, no Teatro do Sesc, em Caxias do Sul. Por fim, está prevista uma edição no Instituto Rosa del Este, que atende mulheres vítimas de violência. O projeto Khaleh Circular tem financiamento da Lei Municipal de Incentivo à Cultura (LIC) de Caxias do Sul. Apoio cultural: Randoncorp, Villagio Caxias e Caminho Rede de Ensino. Apoio: Sesc RS.

Serviço

:: O que: circulação do espetáculo “Khaleh”, de Aline Tanaã.

:: Quando: 15 de junho (sábado), às 19h30.

:: Onde: Didarte Centro Cultural (Rua João Goulart, 20, bairro Glória), em Garibaldi.

:: Duração: 40 minutos.

:: Classificação etária: 12 anos.

:: Quanto: entrada gratuita.

Calendário da circulação

:: 22 de junho, sábado, 16h: Fluência Casa Hip Hop (Caxias do Sul)

:: 29 de junho, sábado, 19h30: Espaço Oásis (São Marcos)

:: 01 de julho, segunda, 8h30: Salão Paroquial de Fazenda Souza (Caxias do Sul)

:: 07 de junho, domingo, 19h30: Espaço Cultura (Antônio Prado)

:: 08 de julho, segunda 14h30: Salão Paroquial de Forqueta (Caxias do Sul)

:: 08 de agosto, quinta, 19h30: Teatro do Sesc (Caxias do Sul)

:: 09 de agosto, sexta, 19h: Palco da Feira do Livro (Canela)

Ficha técnica

:: Direção colaborativa: Carolina Garcia Marques e Aline Tanaã

:: Assessoria artística: Carolina Garcia Marques

:: Assistente de direção e ensaiador: Darlan Gebing

:: Dramaturgia: Aline Tanaã, livremente inspirada na obra “Ciranda das Mulheres Sábias”, de Clarissa Pinkola Estés

:: Atuação: Aline Tanaã 

:: Bonecos, máscaras e objetos cênicos: Marcos Nicolaiewsky

:: Concepção de figurino: Cristina Lisot

:: Trilha sonora original: Grasiela Müller

:: Operação de som e luz: Angelita Bianchetti

:: Arte gráfica: Metrópole Comunicação

:: Assessoria de imprensa: Sublinha! Comunicação

:: Registro fotográfico: Tatieli Sperry Monteiro

:: Contabilidade: Juarez Barazetti

:: Produção: Gabriel Zeni

:: Financiamento: Lei Municipal de Incentivo à Cultura (LIC) de Caxias do Sul

:: Apoio cultural: Randoncorp, Villagio Caxias e Caminho Rede de Ensino

:: Apoio: Sesc RS

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sem categoria

Confira o cronograma do Troca Solidária deste sábado

Publicado em

em

O Troca Solidária deste sábado (22/06) estará nos bairros Rota Nova, Serrano, Beltrão de Queiroz, Vale da Esperança/Reolon, Canyon, Fátima Baixo, Monte Carmelo, Vila Lobos, Mariani, Aeroporto, São Caetano e São Gabriel. O Programa acaba de completar 15 anos e atende a 27 bairros de Caxias do Sul.
Cada 4 quilos de resíduos seletivos equivalem a 1 quilo de alimentos, com limite máximo de 15 quilos de hortifrutigranjeiros por família. Os roteiros estão no site da Codeca, link do Troca Solidária.
O Troca Solidária é desenvolvido pela Codeca, em parceria com a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Smapa) e a Fundação de Assistência Social (FAS). Os alimentos restantes são aproveitados pelo Banco de Alimentos.
Em 2023, o Troca Solidária recebeu o 5º Prêmio Boas Práticas de Gestão Pública, promovido pela Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs).

Continue lendo

Geral

Festa da Uva 2024 reuniu mais de 460 mil participantes, gerando resultado de R$ 1,5 milhão

Publicado em

em

Resultados positivos refletem maior aprovação do público

A Comissão Comunitária da Festa da Uva 2024 apresentou os resultados da 34ª edição do evento, realizada entre os dias 15 de fevereiro a 3 de março, no Parque de Eventos da Festa da Uva, em Caxias do Sul (RS). A Festa seguiu o tema “Caminhos e Lugares” como parte das comemorações dos 150 anos da chegada dos italianos à Serra Gaúcha.

De acordo com o presidente Fernando Bertotto, a edição de 2024 contou com um público de 460.177 pessoas, significando 30% a mais que a edição anterior, de 2022. “A Festa da Uva voltou a receber a visita de turistas nacionais e regionais, o que gerou uma ocupação de cerca de 80% da rede hoteleira no seu início e chegando a 100% em seu último final de semana. Calculamos que o evento injetou cerca de R$ 250 milhões na economia de Caxias do Sul e gerou 10 mil empregos diretos e indiretos”, aponta.

Para Bertotto, a satisfação do público e dos expositores com a edição de 2024 é recompensadora, refletindo em números como o balanço final positivo de R$ 1.504.015,49. Entre os diferenciais de 2024, estiveram espaços especiais, como o Tendenza, valorizando o setor de moda, e o Téti, com atrações infantis, o espaço do Agronegócio e outros atrativos como a Comida Típica Italiana que teve uma presença marcante na festa, as ações como a Uvada e a Polenta Gigante e a tirolesa.

Destaque da 34ª Festa da Uva, os desfiles cênicos tiveram a presença de 65 mil pessoas em suas seis apresentações. Ainda, foram reunidos 400 expositores das áreas de indústria, comércio, serviços, entidades e patrocinadores, somando 150 a mais que na edição anterior, além de contar com 340 apresentações artísticas em seus 18 dias de duração, 150 toneladas de uvas distribuídas, 2.850 pessoas em 11 espetáculos Som & Luz (em parceria com o SESC), 23 mil nas ações do calendário esportivo e 15 mil pessoas nas 15 etapas dos Jogos Coloniais.

Segundo a pesquisa de satisfação realizada pelo Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais (IPES) da Universidade de Caxias do Sul (UCS) entre 1.184 visitantes durante a realização do evento, onde 91% deles aprovaram a Festa da Uva e 92% recomendarão a participação a outras pessoas. Ainda, 94% se mostraram satisfeitos com a segurança, 89% com a limpeza, 88% com o parque infantil e 87% com a qualidade dos locais de alimentação disponíveis. Já entre os 223 expositores entrevistados, 75% deles demonstraram interesse em voltarem na próxima edição da Festa, além de 91% terem ficado satisfeitos com o número de visitantes nos finais de semana, entre outros números.

Continue lendo

Sem categoria

Confira a situação das estradas do interior

Publicado em

em

Atualização até as 18h30 deste domingo.

Segue abaixo o relatório detalhado da situação das vias onde ocorreram bloqueios e que estão passando por serviços da Prefeitura de Caxias, por meio da Secretaria de Obras e Serviços Públicos (SMOSP) e das Subprefeituras.

Subprefeitura de Ana Rech:

Concentração de trabalhos na Estrada Claudino Antônio Costa em direção ao Santa Lúcia, com vários bloqueios ao longo do percurso. Não há previsão de liberação.

Nas estradas da região da 6ª Légua, que conectam comunidades como São José, Nossa Senhora do Caravaggio e Santo Homobom, ainda há barreiras e bloqueios.

A Estrada Governador Euclides Triches está liberada para o tráfego até a junção com a Laurindo Formolo, no entanto, a ligação com o Bairro Castelo está interditada.

Subprefeitura do 1º Distrito:

A Estrada Marcial Pisoni está bloqueada.

A Estrada José Casal permite apenas acesso local.

A Claudio Formolo está bloqueada após a Estação de Tratamento Pena Branca.

A Estrada do Vinho está liberada para o tráfego de veículos leves e médios.

Estrada do Vinho

Foto por Divulgação SMOSP

Estrada do Vinho

Foto por Divulgação SMOSP

Subprefeitura de Santa Lúcia do Piaí:

Concentração de trabalhos na Estrada Claudino Antônio da Costa em direção à cidade, com várias barreiras impedindo o avanço das equipes.

A Estrada Municipal Edgar Jung está bloqueada, sem previsão de liberação.

Com auxílio de voluntários, foi possível alcançar a região da Sertoria, onde famílias estavam ilhadas. Todos foram resgatados, exceto uma pessoa que optou por não deixar o imóvel.

Subprefeitura do Rizzo:

Os trabalhos estão concentrados na Estrada Antônio Gattermann, com passagem possível, porém a via ainda não está em perfeitas condições.

A Rua Carlos Debastiani, na região de acesso ao Paraíso Cristal, está liberada para o fluxo.

O trecho da gruta da Estrada da Uva, em Nossa Senhora da Conceição, está liberado apenas para veículos leves.

Subprefeitura de Fazenda Souza:

Trabalhos concentrados na Estrada Municipal Santa Ana, na região de São José 6ª Légua.

Subprefeitura de Forqueta:

Concentração de trabalhos na região de Forqueta Baixa.

A Estrada da Uva está liberada para veículos leves, porém apresenta diversas rachaduras no asfalto. Foram executadas medidas preliminares de fresagem em alguns pontos.

Na Estrada Municipal Aurora Denzen Guerra, foi realizada limpeza e manutenção em trechos críticos, garantindo condições de tráfego.

A Estrada de Cerro da Glória está liberada até o acesso de Vila Cristina, assim como da Estrada de Cerro da Glória à Estrada do Pinhal.

Estrada de Cerro da Glória

Foto por Divulgação Codeca

Estrada de Cerro da Glória

Foto por Divulgação Codeca

Estrada de Cerro da Glória

Foto por Divulgação Codeca

Subprefeitura de Vila Oliva:

Os trabalhos avançam pela região da encosta. Hoje, com a ajuda de voluntários, foi realizado um resgate na comunidade de Santa Terezinha, no centro de recuperação Celeiro de Cristo.

A Estrada Municipal Firmino Frizzo, em direção à Santa Lúcia do Piaí, está liberada.

Subprefeitura de Vila Cristina:

O subprefeito e as equipes se concentraram na limpeza e reorganização do espaço.

A estrada que passa por Sebatopol em direção à Edgar Jung está danificada e bloqueada.

A Estrada Imigrante está bloqueada, sem previsão de liberação.

Subprefeitura de Galópolis:

Os trabalhos se concentram na região de São João da 4ª Légua, com muitas barreiras no caminho.

Continue lendo