fbpx
Conecte-se conosco

Educação

Rede municipal de ensino já tem 31 estudantes identificados com Altas Habilidades ou Superdotação

Publicado em

em

Secretaria Municipal de Educação (SMED) desenvolve protocolo específico para identificação e acompanhamento de alunos com capacidades elevadas

Caxias do Sul tem atualmente 31 estudantes na rede municipal de ensino identificados com características de Altas Habilidades ou Superdotação (AH/SD). Outros 15 já estão em investigação pela Secretaria Municipal de Educação (SMED). Os dados foram revelados na manhã desta segunda-feira (7), durante a abertura oficial da 2ª Semana Municipal de Altas Habilidades e Superdotação. Em relação ao ano passado, quando a data foi celebrada pela primeira vez, o contingente praticamente dobrou.

Neste mesmo período, coincidência ou não, também ganharam incremento a atenção e a estrutura dedicadas ao tema pela SMED. Hoje a secretaria conta com duas assessoras de Atendimento Educacional Especializado (AEE) voltadas para o acompanhamento de crianças e estudantes com Altas Habilidades ou Superdotação – além do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), que muitas vezes se manifestam em conjunto, o que configura a chamada dupla condicionalidade. As equipes recebem formação continuada e foram constituídos Grupos de Trabalho com o propósito de estabelecer protocolos específicos para ampliar a identificação de traços de AH/SD nos alunos.

“Procuramos desenvolver estratégias para que eles permaneçam na escola e encontrem condições de desenvolver seu potencial, com atividades de contraturno, suplementação e enriquecimento curricular. O principal é buscar visibilidade, para que eles e as famílias possam receber o acompanhamento adequado”, comenta a gerente de Educação Especial da SMED, Silvana Cechinato Cagol.

Além da própria mostra Potência(H)abilidades: um olhar sobre as aptidões dos estudantes com Altas Habilidades instalada no mezanino do Centro Administrativo Municipal até dia 25, que apresenta alguns dos trabalhos realizados pelos estudantes identificados com características de AH/SD na rede municipal, um outro breve exemplo do que a garotada é capaz de entregar com o estímulo conjugado entre família, escola e secretaria foi dado na própria cerimônia que abriu a programação.

Estudante do 2º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Catulo da Paixão Cearense, Ana Helena Corrêa Hübner leu um discurso de própria lavra (elaborado com uma ajudinha da mãe), sem tropeços ou vacilos (embora tenha se descrito como “muito nervosa”), ao lado de uma coleção de autoridades, incluindo a prefeita em exercício do município, Paula Ioris. Ana Helena tem sete anos.

“Minha mãe lia todas as noites para mim, eu tenho um monte de livro, acabei gostando e agora eu leio para a minha irmã [Catarina, dois anos]”, revela a menina, que dominou o alfabeto com um ano e sete meses de idade e lê e escreve corretamente desde os três.

A programação completa da 2ª Semana Municipal de Altas Habilidades e Superdotação pode ser conferida neste link. Também acompanharam a abertura do evento a diretora Pedagógica da SMED, Paula Martinazzo, a vereadora Marisol Santos e o vereador Lucas Diel.

“Um momento como este é de muito orgulho. É importante para conhecer, desenvolver e aprendermos a lidar com estas características da melhor forma possível. É um desafio bom, positivo. O mundo está mudando e estas crianças vieram para nos trazer muitas lições”, afirma a prefeita em exercício Paula Ioris.

Cuidado para avançar cada etapa

Ana Helena Corrêa Hübner se configura em um caso de disparidade entre idade e ano escolar. Só que ao contrário do que habitualmente se verifica entre os estudantes: ela está à frente do programado. Com sete anos, já cursa o 2º ano do ensino fundamental. Foi a medida encontrada por pais, professores e equipe técnica da Secretaria Municipal de Educação (SMED) a fim de não perder as Altas Habilidades da menina para o desestímulo de quem achava o 1º ano muito chato. E detalhe: ela só não está mais adiantada, por cautela no aspecto emocional.

“A Ana foi acompanhada desde cedo, logo que a escola identificou características de Altas Habilidades nela. A escola sempre deu um grande apoio. Nós até desconfiávamos que tinha alguma coisa, mas também achamos que poderia ser aquele olhar de pai e mãe, que sempre acha o filho especial. Uma equipe da SMED veio falar conosco, aplicou alguns testes e ela gabaritou provas de Português e Matemática de anos mais avançados. Então, conversamos bastante, negociamos e, junto com a escola e o pessoal da secretaria, entendemos que ela poderia pular um ano. A transição foi feita com todo cuidado, com muita calma, porque ela mesma tinha muito receio de perder os amigos, e hoje ela está perfeitamente adaptada”, relata a mãe da estudante, a jornalista Josiane Strey Corrêa.

Não é apenas no ensino regular que Ana acelerou o ritmo. No curso de inglês, está frequentando aulas com uma turma três anos mais velha. Tudo é feito com acompanhamento psicológico, há cerca de dois anos.

“Ela sempre foi muito estimulada. E ela nos impõe desafios. Nas explicações, por exemplo. Não basta uma resposta qualquer. A argumentação precisa ser convincente”, observa o pai, o analista de sistemas Alexandre Tomás Hübner.

Como ocorre com a maioria dos pais e mães – tenham eles filhos mais ou menos diferentes dos outros –, o casal se vê diariamente com dúvidas sobre como conduzir o processo. A opção preferida até o momento é a do equilíbrio entre o ritmo acelerado proposto pela menina (que diz que seus livros favoritos são “os de matemática, com contas para resolver”) e o desejo de que Ana não passe pela infância em alta velocidade, sem aproveitar o momento.

“Ela se cobra muito, quer sempre fazer o melhor. De vez em quando, pensa que é professora e tenta dar aula para a irmã mais nova. Então, precisamos convencê-la a brincar. Até no recreio, em que ela queria um caderno para ficar treinando caligrafia”, conta Josiane.

O plano parece ter dado certo. Quando perguntada sobre qual a atividade preferida na escola, Ana responde sem hesitar:

“Educação Física. Porque aí posso brincar com meus colegas.”

Fotos: Natália Silvestre Soares

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

SMED promove neste final de semana Blitz da Educação

Publicado em

em

Evento tem como principal objetivo a “parada” para pensar as relações humanas e o acolhimento

A Secretaria Municipal de Educação (Smed), realiza na manhã deste sábado (09) a Blitz da Educação. O evento acontece em frente à Secretaria, na Rua Borges de Medeiros, 260, centro, das 9h às 12h .A Blitz da Educação é um movimento que sensibiliza o cuidado com as pessoas. Expressões como, “trazer para perto, encorajar, demonstrar que se importa, abraçar”, serão pautados pelos educadores que estarão acolhendo a comunidade em geral.

Para o diretor pedagógico da SMED, Vagner Peruzzo, “A Blitz da Educação é uma “parada” para pensar as relações. A necessidade de olhar nos olhos e dizer: que bom que você veio! Bom dia!.”

Durante toda a manhã a comunidade será recebida com diversas atrações como: música, banda marcial, espaço sensorial, contação de história pelo Sr. Elefante, da Plataforma Elefante Letrado, atividades de pensamento computacional (robótica), bolhas de sabão e muito mais, tudo preparado com muita alegria e diversão.

O evento é gratuito e aberto à comunidade. Em caso de chuva será cancelado.

Serviço:

  • O quê: Blitz da Educação
  • Quando: 09 de dezembro de 2023 – sábado, das 9h às 12h
  • Onde: Rua Borges de Medeiros, 260. (Em frente a Secretaria de Educação)

Continue lendo

Educação

Aberta a 39ª Feira do Livro de Caxias do Sul

Publicado em

em

Na Leitura nos Encontramos até o dia 15 de outubro, na Praça Dante Alighieri

A maior festa literária da região teve a sua solenidade de abertura nesta sexta-feira (29), na Praça Dante Alighieri. Com o tema “Na Leitura nos Encontramos”, o coração da cidade estará pulsando no clima da 39ª Feira do Livro de Caxias do Sul até (15/10). No total, serão 17 dias com atividades gratuitas, nos espaços da Casa da Cultura, do Teatro Municipal Pedro Parenti, da Biblioteca Pública Municipal Dr. Demetrio Niederauer e da Galeria Municipal de Arte Gerd Bornheim.

A presidente da Associação dos Livreiros de Caxienses, Maria Helena Lacava, abriu os discursos da festa literária dizendo que o mais bonito é falar dos livros com o coração. “Eu, em 1988, na abertura da Feira daquele ano tentei fazer um discurso, mas eu fiquei tão nervosa e esqueci a metade do meu discurso. Desde lá então, agora eu não preparo nada, eu falo com meu coração e eu acho muito mais fácil, pois as palavras vem da alma e livros são isso, palavras da alma”, salientou Maria Helena que ao final da fala pediu uma salva de palmas ao livreiro Antônio Rossi, falecido no último dia (06/09) e que participou de 38 edições da Feira.

A Amiga do Livro 2023, a pedagoga e contadora de histórias, Aline Luz, fez de suas palavras uma contação de história. “Durante a pandemia que nós tivemos que ficar longe dos nossos entes queridos, eu criei um projeto chamado Contos ao Telefone. As pessoas me contavam histórias, me contavam um pouquinho dos seus amigos, dos seus entes queridos, e eu escolhia o conto, ligava pra pessoa e dizia: você foi presenteado com o conto ao telefone. E Eu já sabia o poder da palavra. Mas eu descobri que a palavra tem um poder muito leve. Então hoje, como a Amiga do Livro, eu reverencio todos os contadores de histórias, os contadores das histórias escritas e das histórias narradas, pois foi através deles que hoje eu sei o verdadeiro poder da palavra”, disse Aline.

O Patrono da 39ª Feira do Livro de Caxias do Sul, Francisco Michielin, falou em seu discurso da emoção em ser lembrado. “ Me sinto profundamente emocionado, intensamente grato. Mas essa homenagem eu tenho dito em outras ocasiões que para mim, sobretudo, é um prêmio à minha geração. Eu sou um fragmento da minha geração e, consequentemente, eles estão comigo”, disse o Patrono ao relembrar o início de sua carreira como escritor.

O cardiologista Dr. Michielin abriu seu coração, falou que foi na Praça Dante que sua vida literária iniciou e hoje ele abre a Festa da Literatura no coração da cidade. “ A Praça é pública é diversão e é do povo, e o livro tem que ser do povo. Querermos que todos venham para a praça, gostando ou não de livros, mas que venham ver, que venham absorver todo esse ambiente, pois a Festa já começou”, disse o Patrono.

Após a fala do Patrono, a secretária Municipal da Cultura, Cristina Nora Calcagnotto saudou a todos os presentes dizendo da imensa alegria de estar na abertura da Feira do Livro e do valor que ela tem para Caxias do Sul. “ Nosso objetivo principal é incentivar a leitura, dando protagonismo para o livro, para a literatura, para a leitura para todas as idades, para todas as pessoas e classes sociais, com muitas atividades culturais, de dança, música, teatro, artes visuais, com todas as suas formas de expressão. Fazer com que as pessoas tenham mais motivos para se aproximar da leitura”, disse a secretária.

Na sua fala, Cristina Nora Calcagnotto anunciou a campanha de arrecadação de livros para recompor as bibliotecas das cidades atingidas pelas enchentes. As doações podem ser entregues na Secretaria da Cultura e na própria Feira. A ação conta com o apoio da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe).

Por fim, encerrando os discursos da noite, o prefeito Adiló Didomenico falou da importância da Feira do Livro, marco cultural do município. “A Feira nos transforma a cada ano que acontece, ela é mais que um simples encontro de leitores, autores e livreiros. Ela é um espaço de descoberta, de aprendizado e de compartilhamento de conhecimento. É um lembrete poderoso de que, independente das nossas histórias pessoais, a literatura tem o poder de nos unir, inspirar e enriquecer nossas vidas”, salientou o prefeito que completou ainda dizendo que os livros têm o poder de transportar para outras perspectivas e que neles encontramos respostas para perguntas e um convite à reflexão.

E às 18h45min, o momento mais esperado, o médico e escritor Francisco Michielin, Patrono da 39ª edição da Feira do Livro de Caxias do Sul e a Amiga do Livro, Aline Luz, tocaram a sineta abrindo a maior festa literária da Serra Gaúcha.

Após o encerramento do protocolo, o palco recebeu a cantora Tatiéli Bueno, que apresentou Tributo a Mercedes Sosa e emocionou o público presente. E às 20h, na Casa da Cultura, na Galeria Gerd Bornheim aconteceu a abertura da exposição “40 anos de Radicci”, de Carlos Henrique Iotti, que na oportunidade recebeu o prêmio Caxias do Sul, concedido pela Câmara Municipal de Vereadores. A exposição segue até (26/10).

A Feira vai promover mais de 300 atrações, como sessões de autógrafos, palestras, bate-papos, apresentações de música, teatro e dança, além da tradicional venda de livros a preços atrativos na Praça, em 17 dias. Ao todo, são 18 bancas neste ano: Livraria Clássica, Do Arco da Velha, Sebo só ler, Paulus Livraria, Livraria Rossi, Livraria da UCS, Editora da UCS (Educs), Fogaça Livraria, Cia do desenho – CLIP Caxias, Livraria Shalom, Mercado de Ideias, Livraria Correa e Bezerra de Menezes

Confira a programação da Feira do Livro pelo site

https://www.feiradolivrocaxias.com/programacao, ou acompanhe a Feira no Facebook (https://www.facebook.com/FeiradoLivrodeCaxiasdoSul/) e no Instagram https://www.instagram.com/feiradolivrocaxiasdosul/

Continue lendo

Educação

Secretaria Municipal de Educação (SMED) tem novo titular

Publicado em

em

Responsável pela segunda maior rede municipal de ensino de todo o Rio Grande do Sul assume o posto nesta segunda-feira (3)

Foto: Acervo CVCS

Edson Paulo Theodoro da Rosa, 59 anos, natural de Caxias do Sul, graduado em Ciências Contábeis e pós-graduado em Marketing, vereador por quatro mandatos, presidente da Câmara de Vereadores em 2013, diretor por dois anos consecutivos da Escola do Legislativo e secretário municipal de Educação entre 2009 e 2011 estará novamente à frente da Secretaria Municipal de Educação (SMED) a partir desta segunda-feira (3). Edson sucede a Sandra Negrini, que comandou a pasta desde o início da atual gestão, em janeiro de 2021, até a última sexta-feira (1).

Anteriormente, do começo do governo até julho do ano passado, o novo titular da Educação de Caxias do Sul já havia atuado como diretor do Banco de Alimentos, onde participou diretamente da implementação da Cozinha Experimental. Agora, assume a missão de liderar a maior secretaria do município e a segunda maior rede municipal de ensino de todo o Rio Grande do Sul – atrás apenas da de Porto Alegre –, com mais de 45 mil estudantes e cerca de quatro mil servidores.

“Acredito muito em construções coletivas e é assim que desejo trabalhar. Acima de tudo, com muito respeito, muito diálogo e aproximação entre todas as pessoas que fazem a educação em Caxias do Sul. Tenho consciência de que o desafio é grande, de que há muito por fazer. Mas, por outro lado, vamos lembrar que o nosso quadro de profissionais é extremamente qualificado e que, mesmo nos momentos mais adversos, é capaz de grandes realizações. E é justamente por isso que, primeiro de tudo, queremos ouvir os nossos professores e equipes diretivas. Vamos conversar”, afirma Edson da Rosa.

Nos próximos dias, à medida que se apropriar das principais informações e dados atualizados em torno do andamento da pasta, o novo secretário deve sinalizar as primeiras linhas de trabalho, integrantes da equipe e respectivas atribuições.

“O Edson é um grande nome, já havia sido um colega secretário nos tempos de governo [José Ivo] Sartori, exatamente na Educação. Conhece a matéria e certamente vai trazer contribuições importantes para o município. A Educação é uma prioridade nossa, ao lado da Saúde. Uma pasta com um orçamento significativo e que tem demandas que crescem exponencialmente, muito em função do fluxo de pessoas que continuam vindo para Caxias do Sul, em grande volume, em busca de oportunidades. Queremos oferecer a todos as melhores condições para se desenvolverem e, consequentemente, fazer também o município evoluir junto nesta caminhada”, conclui o prefeito Adiló Didomenico.

Continue lendo