fbpx
Conecte-se conosco

Geral

Morre jornalista Glória Maria, ícone da TV

Publicado em

em

Na Globo desde 1971, a carioca foi a primeira repórter a entrar ao vivo e, em cores, no Jornal Nacional. De 1998 a 2007, apresentou o Fantástico e, desde 2010, integrava a equipe do Globo Repórter.

A jornalista Glória Maria morreu no Rio nesta quinta-feira (2). A causa da morte não foi informada.

Glória foi pioneira inúmeras vezes. Foi a primeira a entrar ao vivo no Jornal Nacional e inaugurou e era da alta definição da televisão brasileira. Mostrou mais de 100 países em suas reportagens e protagonizou momentos históricos.

“Eu sou uma pessoa movida pela curiosidade e pelo susto. Se eu parar pra pensar racionalmente, não faço nada. Tenho que perder a racionalidade pra ir, deixar a curiosidade e o medo me levarem, que aí eu faço qualquer coisa.”

Vida e carreira

Glória Maria Matta da Silva nasceu no Rio de Janeiro. Filha do alfaiate Cosme Braga da Silva e da dona de casa Edna Alves Matta, estudou em colégios públicos e sempre se destacou. “Aprendi inglês, francês, latim e vencia todos os concursos de redação da escola”, lembrou, ao Memória Globo.

Glória também chegou a conciliar os estudos na faculdade de Jornalismo da Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio) com o emprego de telefonista da Embratel.

Em 1970, foi levada por uma amiga para ser radioescuta da Globo do Rio. Em uma época sem internet, era ouvindo as frequências da polícia que se descobria o que acontecia na cidade. Fazer uma ronda de telefone, ligando para batalhões e delegacias, também era tarefa de um radioescuta.

Na Globo, tornou-se repórter numa época em que os jornalistas ainda não apareciam no vídeo. A estreia como repórter foi em 1971, na cobertura do desabamento do Elevado Paulo de Frontin, no Rio de Janeiro. “Quem me ensinou tudo, a segurar o microfone, a falar, foi o Orlando Moreira, o primeiro repórter cinematográfico com quem trabalhei”.

Glória Maria trabalhou no Jornal Hoje, no RJTV e no Bom Dia Rio — coube a ela a primeira reportagem do matinal local, há 40 anos, sobre a febre das corridas de rua.

No Jornal Nacional, foi a primeira repórter a aparecer ao vivo. Cobriu a posse de Jimmy Carter em Washington e, no Brasil, durante o período militar, entrevistou chefes de estado, como o ex-presidente João Baptista Figueiredo.

“Foi quando ele [João Figueiredo] fez aquele discurso ‘eu prendo e arrebento’ – para defender a abertura (1979). Na hora, o filme acabou e não tínhamos conseguido gravar. Aí eu pedi: ‘Presidente, é a TV Globo, o Jornal Nacional, será que o senhor poderia repetir? Problema seu, eu não vou repetir’, disse Figueiredo. Onde ela chegava, o ex-presidente dizia para a segurança: ‘Não deixa aquela neguinha chegar perto de mim’”, relembra.

Sucesso no Fantástico

A partir de 1986, a jornalista integrou a equipe do Fantástico, do qual foi apresentadora de 1998 a 2007. Ficou conhecida pelas matérias especiais e viagens a lugares exóticos, e por entrevistar celebridades como Michael Jackson, Harrison Ford, Nicole Kidman, Leonardo Di Caprio e Madonna.

Com a cantora, teve um encontro que ela define como especial. “Eu saí daqui, e diziam que a Madonna era difícil. Foi antipaticíssima com a Marília Gabriela e debochou do seu inglês”. Ao chegar, Glória Maria foi informada de que tinha quatro minutos para entrevistar Madonna.

A repórter conta que entrou em pânico. Mas, na hora, falou: “Olha, Madonna, eu tenho quatro minutos, vou errar no inglês, estou assustada, acho que já perdi os quatro minutos.” Para sua surpresa, a estrela virou-se para a equipe técnica e disse: “Dê a ela o tempo que ela precisar.”

Para o Fantástico, a jornalista viajou por mais de 100 países, passando pela Europa, África e parte do Oriente, quando mostrou um mundo novo ao telespectador.

Foi a repórter que entrou no ar ao vivo, na primeira matéria a cores do Jornal Nacional, em 1977, mostrando o movimento de saída de carros do Rio de Janeiro, em um fim de semana. Naquele dia, foram usados equipamentos portáteis de geração de imagens.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

ONG Construindo Igualdade é contemplada pelo Programa Acolher+, do Ministério dos Direitos Humanos

Publicado em

em

Casa de Acolhimento receberá recursos para aquisição de materiais

Na semana em que completa seu terceiro aniversário, a Casa de Acolhimento da ONG Construindo Igualdade, de Caxias do Sul, foi uma das 12 iniciativas contempladas pelo Programa Acolher+, parceria entre o Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Com o reconhecimento em nível federal, a primeira casa de acolhimento LGBTQIA+ do Sul do Brasil receberá quatro parcelas de R$ 4,6 mil para aquisição de materiais de consumo, como alimentos, itens de higiene pessoal e produtos de limpeza.

“Essa verba é um reconhecimento da seriedade do nosso trabalho e vai ajudar a manter a Casa de Acolhimento funcionando, sendo um ponto fundamental para receber pessoas LGBTs em situação de vulnerabilidade. Desde que abrimos as portas, nossa casa tem sido um refúgio para a comunidade LGBT, proporcionando apoio emocional, recursos essenciais e um ambiente onde todas, todos e todes podem ser verdadeiramente quem são”, comemora Cleo Araújo, voluntária da ONG.

Desde sua inauguração, em maio de 2021, a Casa de Acolhimento já recebeu mais de 100 pessoas, proporcionando um local seguro para moradia temporária, além de assistência psicológica e apoio com cursos de capacitação. Atualmente, o espaço pode receber até quatro moradores.

Além da Casa de Acolhimento da ONG Construindo Igualdade, de Caxias do Sul (RS), foram contempladas: a Casa Cores, de Petrolina (PE); o Casarão Brasil, de São Paulo (SP); a Casa Gold, de Vitória (ES); a Casa Nem, do Rio de Janeiro (RJ); a Outra Casa Coletiva, do Ceará; o Centro de Acolhimento Ezequias Rêgo da Rocha, de Maceió (AL); a Casa Miga, de Manaus (AM); a Casa Rosa, do Distrito Federal; a Casa Resistências, do Rio de Janeiro (RJ); a Casa Florescer, do Maranhão; e a Casa Dulce Seixas, do Rio de Janeiro (RJ).

Os recursos do Programa Acolher+ são destinados exclusivamente para aquisição de materiais de consumo, como alimentos, materiais de limpeza e utensílios domésticos. Com isso, a ONG Construindo Igualdade segue em busca de doações para custeio das despesas de aluguel, água, luz e gás. Interessados em ajudar a primeira casa de acolhimento LGBTQIA+ do Sul do Brasil podem entrar em contato com Cleo Araújo pelo fone/whats (54) 99161-3078.

Agenda em Brasília

Além da oficialização do repasse de verbas do Programa Acolher+, Cleo Araújo está em Brasília cumprindo uma agenda de reuniões no Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC) e na Secretaria Extraordinária para Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul. Em pauta, está o acolhimento a pessoas LGBTQIA+ afetadas pela tragédia climática que já deixou mais de 540 mil gaúchos desabrigados.

“Estou participando de um grupo de trabalho que acompanha com atenção os casos de violência contra a comunidade LGBT relatados durante este período terrível que estamos passando no Rio Grande do Sul. Vamos apresentar à equipe do ministro Paulo Pimenta um pedido para instalação de um espaço de acolhimento para pessoas LGBTs em Porto Alegre”, antecipa Cleo.

Sobre a ONG

A ONG Construindo Igualdade é uma entidade sem fins lucrativos de Caxias do Sul (RS) que iniciou suas atividades em 2003, a partir da necessidade de organização da comunidade LGBTQIA+. Dirigida por uma comissão de pessoas LGBTs, tem como missão combater qualquer tipo de discriminação e violação de direitos humanos em função da orientação sexual ou identidade de gênero, atuando para garantir o direito à cidadania plena e à livre expressão. Possui um histórico de atuação com pessoas em situação de vulnerabilidade, mulheres vítimas de violência doméstica e pessoas convivendo com HIV e AIDS, por meio de ações de assistência social, saúde, advocacia, educação, cultura e acolhimento.

Continue lendo

Geral

Prefeitura autoriza pagamento dos transportadores escolares do interior

Publicado em

em

Em virtude das aulas suspensas, empresas temiam não receber do município.

O Prefeito Adiló Didomenico autorizou, na tarde desta segunda-feira (20), o pagamento dos transportadores escolares que fazem cerca de 70 roteiros no interior do município. As empresas temiam não receber do município em virtude das aulas nas escolas do interior estarem suspensas desde o dia 02 de maio, em virtude das condições das estradas, muitas atingidas com quedas de barreiras devido às fortes chuvas.

Adiló garantiu o pagamento dos custos fixos das viagens para não impactar os empresários do setor. O valor do repasse é de cerca de R$ 45 mil por dia até a normalidade do serviço. “Numa reunião a pouco com a representação dos transportadores escolares, autorizamos o pagamento do custo fixo para minimizar o prejuízo desses empresários, que já enfrentaram uma dificuldade muito grande na pandemia, e que estão parados devido à suspensão das aulas no interior”, explica o Prefeito.

O transporte escolar do município é contratado via licitação, em um investimento de R$ 1,5 milhão (todo transporte escolar).

Continue lendo

Geral

Prefeitura realiza mutirão de vacinação neste sábado

Publicado em

em

População poderá se vacinar em UBSs, shopping Villagio Caxias e Praça Dante Alighieri (conforme o clima).

A Prefeitura de Caxias do Sul, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), realiza um mutirão de vacinação neste sábado (18/05). Além das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), haverá pontos de vacinação no Shopping Villagio Caxias e também na Praça Dante Alighieri (este poderá ser suspenso de acordo com a condição climática). Em todos os pontos haverá vacina contra a gripe (Influenza). Nas UBSs também haverá doses de rotina para atualização da caderneta.

As Unidades Básicas de Saúde (UBSs) estarão abertas para ofertar as vacinas do calendário de rotina da criança, do adolescente e do adulto entre 8h e 17h. Apenas as UBSs Centenário e Vila Cristina não abrem. A Secretaria da Saúde orienta a população a colocar em dia principalmente as vacinas que previnem doenças a que pode ter sido exposta em função dos alagamentos dos últimos dias, como tétano e hepatite B. Também estará disponível a vacina contra a gripe (Influenza).

A Secretaria Municipal da Saúde reforça que a vacinação do calendário de rotina, incluindo as vacinas contra tétano, hepatite b e febre amarela estará disponível apenas para a população que não estiver em dia com essas vacinas. Não há recomendação para vacinação indiscriminada de toda a população.

Nos pontos de vacinação no shopping Villagio Caxias e na Praça Dante Alighieri (este com o ônibus da Cruz Vermelha) estará disponível apenas a vacina contra a gripe, que está liberada para toda a população de seis meses de idade ou mais.

É preciso levar documento pessoal e caderneta de vacinação. Para crianças é obrigatória a apresentação da caderneta.

SERVIÇO

Mutirão de Vacinação

Sábado 18/05

Shopping Villagio Caxias

10h às 16h

Apenas vacina da gripe

Praça Dante Alighieri – com ônibus da Cruz Vermelha*

Apenas vacina da gripe

10h às 15h

*ação poderá ser cancelada de acordo com a condição do clima

Todas UBSs (exceto Centenário e Vila Cristina)

8h às 17h

Vacinas do calendário de rotina

Vacina da gripe

Levar documento pessoal e caderneta de vacinação

OBS: para crianças é obrigatória a apresentação da caderneta

Devido às enchentes, fique atento se você ou seu filho estão com as seguintes vacinas em dia:

Tétano

  • – Criança até 4 anos (vacina DTP): deve ter 2 doses.
  • – Adolescente (vacina dT): deve ter 3 doses no total, incluindo as 2 da infância.
  • – Adulto (vacina dT): deve ter 3 doses no total, se não vacinado na infância ou adolescência. E um reforço a cada 10 anos.

Hepatite B

  • – Adolescente: deve ter 3 doses no total (incluindo a dose da infância).
  • – Adulto: deve ter 3 doses no total (incluindo doses da infância e adolescência).
  • – Gestante: deve ter três doses (se não vacinada anteriormente).

Febre amarela

  • – Criança: deve ter 2 doses.
  • – Adolescente: dose única (se não vacinado anteriormente).
  • – Adulto: dose única (se não vacinado anteriormente).

Continue lendo