fbpx
Conecte-se conosco

Sem categoria

Confira o cronograma do Troca Solidária deste sábado

Publicado em

em

O Troca Solidária deste sábado (22/06) estará nos bairros Rota Nova, Serrano, Beltrão de Queiroz, Vale da Esperança/Reolon, Canyon, Fátima Baixo, Monte Carmelo, Vila Lobos, Mariani, Aeroporto, São Caetano e São Gabriel. O Programa acaba de completar 15 anos e atende a 27 bairros de Caxias do Sul.
Cada 4 quilos de resíduos seletivos equivalem a 1 quilo de alimentos, com limite máximo de 15 quilos de hortifrutigranjeiros por família. Os roteiros estão no site da Codeca, link do Troca Solidária.
O Troca Solidária é desenvolvido pela Codeca, em parceria com a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Smapa) e a Fundação de Assistência Social (FAS). Os alimentos restantes são aproveitados pelo Banco de Alimentos.
Em 2023, o Troca Solidária recebeu o 5º Prêmio Boas Práticas de Gestão Pública, promovido pela Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs).

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sem categoria

Professora Lucy Ramos da Silva será homenageada no Dia Mundial da Cultura e Paz em Caxias do Sul 

Publicado em

em

A homenagem acontece no dia 25 de julho, no Centro de Cultura Ordovás

No dia 25 de julho, quando é comemorado o Dia Mundial da Cultura e  Paz, a professora formada em Belas Artes pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), Lucy Ramos da Silva, será homenageada pelo seu trabalho filantrópico dedicado a auxiliar o ser humano de forma integral na busca do desenvolvimento da qualidade de vida. Lucy tem uma trajetória marcada pelo comprometimento com a educação, a cultura e o desenvolvimento humano.

Iniciando sua carreira como diretora de escolas do município, Lucy sempre buscou inovar e enriquecer o ambiente educacional. Em 1979, juntamente com seu irmão, Dr. Dorival Ventura Ramos, ela liderou a retomada da “Casa da Criança”, uma obra social fundada por Jardelino Ramos em 1948. Esse projeto foi recriado sob o nome de Centro Cultural Espírita Jardelino Ramos, ampliando seu escopo e impacto na comunidade.

A partir de 1981, Lucy coordenou os Seminários de Estudos Científicos da Doutrina Espírita por 17 anos, em parceria com a Pró-reitoria de Extensão e Pesquisa da UCS. Esses seminários foram fundamentais para a disseminação do conhecimento espírita e científico, promovendo um diálogo enriquecedor entre fé e razão.

Em 1990, Lucy iniciou o Programa “Breve Reflexão sobre o Homem Integral”, que continua até os dias atuais. Este programa formou diversos grupos de estudos focados no autoconhecimento e desenvolvimento pessoal, com projetos como o Projeto TER/SER, Projeto Abacateiro – Direcionado às crianças e adolescentes, promovendo o desenvolvimento emocional e espiritual desde cedo, Projeto Estudos dos livros de Robert Jonhson: HE – SHE – WE – Focado na compreensão das dimensões psicológicas e espirituais dos relacionamentos humanos.

Em 1999, Lucy fundou a ONG CREAR, localizada no bairro Nossa Senhora de Lourdes. A ONG continua a operar até hoje, oferecendo diversos programas de suporte e desenvolvimento comunitário.

Ela também escreveu os livros: Meu Jeito de Ser Kaira, Jardelino Ramos – Um homem Chamado Amor, Coleção Coração Azul – 6 volumes, sendo eles: Coração Azul, O Moço e a Gota D’Água, Reencontro, História de uma Roseira, O Abacateiro e a Lua e a, Fonte da Maternidade. Há também, Retalhos Costurados – Volumes I e II (2024), Alvoroço no Jardim – Volume 7 – Coleção Coração Azul (2025), Primavera – Uma história sobre a resiliência na recuperação de drogas (2026), Retalhos Costurados – Volumes I e II (2024), Feijão com Arroz e Outras Misturas (2026), livros ainda não editados.

Ao longo de sua carreira, Lucy Ramos da Silva tem sido uma figura central na promoção da educação, cultura e espiritualidade em Caxias do Sul. Sua abordagem integral ao desenvolvimento humano e seu compromisso com o bem-estar da comunidade lhe renderam esta merecida homenagem municipal no Dia da Cultura e da Paz. Lucy continua a inspirar e transformar vidas, demonstrando que o verdadeiro progresso começa com o crescimento interior e o serviço ao próximo.

O Dia da Cultura e da Paz é comemorado no dia 25 de julho, todos os anos no Centro de Cultura Ordovás e se inicia às 9h com uma cerimônia de abertura e que prossegue durante o dia todo com uma programação recheada de atividades relacionadas ao tema.

Continue lendo

Geral

Festa da Uva 2024 reuniu mais de 460 mil participantes, gerando resultado de R$ 1,5 milhão

Publicado em

em

Resultados positivos refletem maior aprovação do público

A Comissão Comunitária da Festa da Uva 2024 apresentou os resultados da 34ª edição do evento, realizada entre os dias 15 de fevereiro a 3 de março, no Parque de Eventos da Festa da Uva, em Caxias do Sul (RS). A Festa seguiu o tema “Caminhos e Lugares” como parte das comemorações dos 150 anos da chegada dos italianos à Serra Gaúcha.

De acordo com o presidente Fernando Bertotto, a edição de 2024 contou com um público de 460.177 pessoas, significando 30% a mais que a edição anterior, de 2022. “A Festa da Uva voltou a receber a visita de turistas nacionais e regionais, o que gerou uma ocupação de cerca de 80% da rede hoteleira no seu início e chegando a 100% em seu último final de semana. Calculamos que o evento injetou cerca de R$ 250 milhões na economia de Caxias do Sul e gerou 10 mil empregos diretos e indiretos”, aponta.

Para Bertotto, a satisfação do público e dos expositores com a edição de 2024 é recompensadora, refletindo em números como o balanço final positivo de R$ 1.504.015,49. Entre os diferenciais de 2024, estiveram espaços especiais, como o Tendenza, valorizando o setor de moda, e o Téti, com atrações infantis, o espaço do Agronegócio e outros atrativos como a Comida Típica Italiana que teve uma presença marcante na festa, as ações como a Uvada e a Polenta Gigante e a tirolesa.

Destaque da 34ª Festa da Uva, os desfiles cênicos tiveram a presença de 65 mil pessoas em suas seis apresentações. Ainda, foram reunidos 400 expositores das áreas de indústria, comércio, serviços, entidades e patrocinadores, somando 150 a mais que na edição anterior, além de contar com 340 apresentações artísticas em seus 18 dias de duração, 150 toneladas de uvas distribuídas, 2.850 pessoas em 11 espetáculos Som & Luz (em parceria com o SESC), 23 mil nas ações do calendário esportivo e 15 mil pessoas nas 15 etapas dos Jogos Coloniais.

Segundo a pesquisa de satisfação realizada pelo Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais (IPES) da Universidade de Caxias do Sul (UCS) entre 1.184 visitantes durante a realização do evento, onde 91% deles aprovaram a Festa da Uva e 92% recomendarão a participação a outras pessoas. Ainda, 94% se mostraram satisfeitos com a segurança, 89% com a limpeza, 88% com o parque infantil e 87% com a qualidade dos locais de alimentação disponíveis. Já entre os 223 expositores entrevistados, 75% deles demonstraram interesse em voltarem na próxima edição da Festa, além de 91% terem ficado satisfeitos com o número de visitantes nos finais de semana, entre outros números.

Continue lendo

Sem categoria

Espetáculo “Khaleh”, de Aline Tanaã, circulará por seis cidades da Serra Gaúcha

Publicado em

em

Caxias do Sul, Garibaldi, São Marcos, Antônio Prado, Canela e Bento Gonçalves recebem o circuito

Caxias do Sul e mais cinco cidades da Serra Gaúcha recebem, até o fim de agosto, a circulação do espetáculo “Khaleh”, de Aline Tanaã. No próximo sábado (15), é a vez do Didarte Centro Cultural, em Garibaldi, receber o circuito. A apresentação, aberta à comunidade, inicia às 19h30. Mais cedo, das 8h às 12h, Tanaã ministra a oficina“Rito, Riso e Ventre”, voltada à comicidade e ao protagonismo feminino/materno. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo link: https://www.sympla.com.br/evento/oficina-rito-riso-e-ventre-com-aline-tanaa-projeto-khaleh-circular/2479919.

Nos próximos meses, a montagem também passará por São Marcos, Antônio Prado, Canela e Bento Gonçalves. As sessões do espetáculo são acompanhadas de bate-papo, a fim de aprofundar as reflexões da peça e promover o diálogo entre artista e público. Ao todo, serão 10 apresentações. A circulação teve sessão de pré-estreia no distrito caxiense de Vila Oliva, dia 11 de maio, com arrecadação de donativos para as vítimas das enchentes no Rio no Grande do Sul.

Inspirado no livro “A Ciranda das Mulheres Sábias”, da psicanalista Clarissa Pinkola Estés, a peça traz uma abordagem acerca dos arquétipos femininos, em especial o da Grande Mãe, relacionando à sobrecarga do planeta Terra com a invisibilidade da maternidade. Khaleh é uma palavra de origem iraniana que significa intimidade familiar, especial e carinhosa, ou afinidade psíquica com outra alma. No palco, Aline Tanaã interpreta uma guardiã, que conduz o público por histórias emolduradas por outras histórias, utilizando-se de objetos cênicos, máscaras e a comicidade da palhaçaria. O trabalho, quase sem falas, utiliza a dramaturgia silenciosa e o humor como ferramentas de expressão.

“A expectativa pela circulação é imensa, pois é só no encontro com o público que o teatro encontra sentido. Neste caso caso ainda mais, pois o espetáculo traz temas super atuais e necessários, como ecofeminismo, ecologia, igualdade de gênero e outros temas que vivemos diariamente. O ‘Khaleh’ tem me acompanhado no meu processo de crescimento e amadurecimento como mulher. Neste novo momento, o trabalho tem refletido muito o nosso tempo, no sentido de expandir a reflexão para a nossa relação com a Terra e com o local que habitamos”, explica Tanaã.

A primeira versão do espetáculo estreou em 2016, após ser agraciado com o Prêmio Anual de Incentivo à Montagem Teatral, da Secretaria Municipal da Cultura de Caxias do Sul, no ano anterior. Foram duas temporadas de circulação, incluindo passagem pelo Porto Alegre em Cena: Festival Internacional de Artes Cênicas. Após um período de quatro anos sem apresentações, a montagem foi reformulada e voltou aos palcos em 2022, rendendo os prêmios de Melhor Espetáculo de Júri Popular, Melhor Atriz e Melhor Caracterização no 4º Festival de Teatro de Capão da Canoa. Desde sua estreia, o “Khaleh” já foi assistido por mais de 2 mil espectadores.

Com 40 minutos de duração, o espetáculo é dirigido por Aline Tanaã e Carolina Garcia Marques. Carolina foi diretora da primeira versão do “Khaleh” e retorna para a manutenção artística da peça. O também ator Darlan Gebing assina como assistente de direção e ensaiador. Bonecos, máscaras e objetos cênicos foram produzidos por Marcos Nicolaiewsky. A ficha técnica conta ainda com Cristina Lisot na concepção de figurino e trilha sonora original de Grasiela Müller.

“O teatro é uma arte viva e gosto muito desse processo de refinamento que acontece na medida que o trabalho amadurece. Nesta nova versão, buscamos uma melhora estética e também um aprofundamento da reflexão. Tenho buscado dar mais corpo ao arquétipo da Mãe Terra, visto que traz uma perspectiva do ecofeminismo, tema que tenho ampliado nos meus estudos teóricos dentro da psicologia e também da cena”, explica a protagonista.

Além das apresentações do espetáculo, o projeto também contempla outras duas edições da oficina “Rito, Riso e Ventre”. A próxima turma será no dia 10 de agosto, no Teatro do Sesc, em Caxias do Sul. Por fim, está prevista uma edição no Instituto Rosa del Este, que atende mulheres vítimas de violência. O projeto Khaleh Circular tem financiamento da Lei Municipal de Incentivo à Cultura (LIC) de Caxias do Sul. Apoio cultural: Randoncorp, Villagio Caxias e Caminho Rede de Ensino. Apoio: Sesc RS.

Serviço

:: O que: circulação do espetáculo “Khaleh”, de Aline Tanaã.

:: Quando: 15 de junho (sábado), às 19h30.

:: Onde: Didarte Centro Cultural (Rua João Goulart, 20, bairro Glória), em Garibaldi.

:: Duração: 40 minutos.

:: Classificação etária: 12 anos.

:: Quanto: entrada gratuita.

Calendário da circulação

:: 22 de junho, sábado, 16h: Fluência Casa Hip Hop (Caxias do Sul)

:: 29 de junho, sábado, 19h30: Espaço Oásis (São Marcos)

:: 01 de julho, segunda, 8h30: Salão Paroquial de Fazenda Souza (Caxias do Sul)

:: 07 de junho, domingo, 19h30: Espaço Cultura (Antônio Prado)

:: 08 de julho, segunda 14h30: Salão Paroquial de Forqueta (Caxias do Sul)

:: 08 de agosto, quinta, 19h30: Teatro do Sesc (Caxias do Sul)

:: 09 de agosto, sexta, 19h: Palco da Feira do Livro (Canela)

Ficha técnica

:: Direção colaborativa: Carolina Garcia Marques e Aline Tanaã

:: Assessoria artística: Carolina Garcia Marques

:: Assistente de direção e ensaiador: Darlan Gebing

:: Dramaturgia: Aline Tanaã, livremente inspirada na obra “Ciranda das Mulheres Sábias”, de Clarissa Pinkola Estés

:: Atuação: Aline Tanaã 

:: Bonecos, máscaras e objetos cênicos: Marcos Nicolaiewsky

:: Concepção de figurino: Cristina Lisot

:: Trilha sonora original: Grasiela Müller

:: Operação de som e luz: Angelita Bianchetti

:: Arte gráfica: Metrópole Comunicação

:: Assessoria de imprensa: Sublinha! Comunicação

:: Registro fotográfico: Tatieli Sperry Monteiro

:: Contabilidade: Juarez Barazetti

:: Produção: Gabriel Zeni

:: Financiamento: Lei Municipal de Incentivo à Cultura (LIC) de Caxias do Sul

:: Apoio cultural: Randoncorp, Villagio Caxias e Caminho Rede de Ensino

:: Apoio: Sesc RS

Continue lendo